Orçamento: 5 coisas que não podem faltar ao montar um

orçamento estrategia gestao linko comercial cr sistemas e web

Separamos cinco pontos importantes que estão presentes na maioria dos orçamentos dos nossos clientes.

Era uma vez um cliente que sabia tudo sobre a televisão que ele queria comprar.

Aí foi até a Loja, pediu o produto e o vendedor disse “essa aqui está linda”.

O cliente perguntou: “Certo, mas ela é 110 ou 220?”.

E o vendedor respondeu: “Vou ver com meu gerente…”.

Essa história boba e levemente exagerada retrata uma situação que, por vezes, um cliente enfrenta ao entrar em uma loja: a falta de informação sobre os produtos e a falta de conhecimento de quem está vendendo.

A disseminação de informações sobre produtos e serviços que estão espalhadas por toda a internet, entre descrições, vídeos, depoimentos, manuais, especificações técnicas, entre tantos outros materiais, permitem que o consumidor consiga se preparar muito antes de realizar uma compra.

Por isso é de extrema importância que haja, do lado de quem está vendendo, um ótimo entendimento dos produtos e serviços que estão sendo oferecidos.

Sempre existirá o cliente que não sabe nada a respeito do produto que está querendo comprar.

Mas também haverá aquele que conhece tudo, inclusive as especificações técnicas.

Elegemos aqui cinco itens que consideramos importantes ao montar um orçamento:

 

1. Saber exatamente o que o cliente precisa

Um orçamento começa por relacionar os produtos para o cliente.

O primeiro passo ao montar um orçamento é entender qual o produto o cliente está precisando.

Muito deste conhecimento está com o vendedor, mas ele precisa ter habilidade de localizar estes produtos no sistema de gestão.

O sistema precisa entregar a possibilidade de filtrar os produtos pelo nome, grupo, referência ou aplicação.

Deve permitir que as informações relevantes estejam à disposição para uma fácil localização.

Enquanto o vendedor vai adicionando esses produtos ao orçamento, deve saber se há no estoque ou precisa encomendar. Deve também saber o preço do produto, promoções e descontos.

Os produtos precisam estar bem detalhados no orçamento para que o cliente possa tomar sua decisão de compra.

Em alguns casos é importante que os produtos estejam separados por grupos ou ambientes:

  • Numa reforma, pode-se separar os produtos por cozinha, banheiro, sala, quartos…
  • Num caso de autopeças, pode-se separar os produtos por motor, caixa, elétrica…

Com uma separação assim, o cliente consegue ter a informação agrupada, sabendo quanto irá gastar em cada parte e pode decidir se comprará o todo, uma parte ou se fará o serviço de uma única vez.

 

2. Identificação do cliente

Se do lado do cliente é importante haver um detalhamento dos produtos, do lado do lojista é importante ter um mínimo de informações a respeito do cliente.

No orçamento você não precisa ter um cadastro gigante com todas as informações do cliente.

Mas tenha um mínimo de informações: nome, e-mail e telefone, por exemplo.

Com estes dados básicos torna-se possível um futuro contato para negociações e conversar sobre as dúvidas do cliente.

O ato de completar o cadastro com CPF ou CNPJ, endereço e demais informações para emissão de nota fiscal pode ser feito depois, quando haver a decisão por parte do cliente em efetivar as compras.

 

3. Identificar vendedor e parceiro

A identificação do vendedor no orçamento é importante para entender quem está atendendo quem.

Posteriormente, pode haver a necessidade de pagamento de comissões e a informação do vendedor já deve estar no orçamento desde o primeiro momento, para facilitar esses cálculos.

Existem lojas que trabalham por indicação. Por exemplo: materiais de construção são indicados por um arquiteto, pedreiro ou pintor.

O parceiro é a informação que é utilizada para saber sobre essas indicações.

Nesses casos, informar o parceiro torna-se uma informação relevante para que a empresa possa recompensar a pessoa ou empresa que à indicou.

 

4. Forma e condições de pagamento

É importante identificar no orçamento qual a forma de pagamento que o cliente deseja pagar, bem como, a condição de pagamento.

A forma de pagamento será ‘dinheiro’, ‘cartão’, ‘boleto’, entre outras.

A condição de pagamento será ‘à vista’, ‘a prazo’, entre outras.

Essa informação vai ajudar na negociação. Para que o vendedor possa aplicar algum desconto para pagamento à vista, ou melhorar a condição de pagamento para um cliente que tenha mais dificuldade de concretizar a compra.

 

5. Cópia clara do orçamento para o cliente analisar

Quando o cliente sai da loja ele precisa ter algum tipo de documento, seja no papel, PDF, e-mail ou algum outro.

Esta cópia deve mostrar claramente todos os produtos e seus detalhes.

Deve mostrar as quantidades, a unidade de venda, o preço unitário e total de cada item.

Se possível, cada produto deve ter uma foto ou imagem ilustrativa para que o cliente possa lembrar e entender cada produto.

O orçamento deve conter a identificação da loja: nome, endereço, telefone, e-mail e vendedor. Assim, o cliente consegue facilmente entrar em contato quando precisar.

É importante que o orçamento guarde as informações do cliente para que o vendedor possa fazer um contato para dar continuidade às negociações.

Por fim, o orçamento deve conter valor total, descontos oferecidos, condições de pagamento e data de validade.

Boas vendas!




Tags

cliente condição de pagamento cr sistemas e web decisão de compra forma de pagamento gestão Linko comercial negociação orçamento parceiro produto sistema de gestão vendas vendedor